18 de jun de 2011

Partido Alto

O "Partido alto" teve suas origens mais remotas na "Chula", e podemos defini-lo como uma variável do Samba.

Com um ritmo mais pausado em relação ao Samba tradicional a princípio não existiam versos apenas acompanhamento de instrumentos de ritmo, talvez dai tenha saído a definição de "Batucada" para o Partido Alto.

Muito ligado ao "Samba Duro" ou "Samba de Pernada" comum durante os cortejos de escravos que ocorria na Pequena África, assim chamado por Heitor dos Prazeres a região portuária do Rio de Janeiro, local onde se encontravam remanescentes de Quilombos da Pedra de Sal entre outros.

Naquela época já existia entre os escravos o "chefe do coro", responsável pelo tema que muitas vezes contava seu cotidiano, a saudade de sua terra natal e principalmente seu estado de espírito naquele exato momento e até pelo andamento do batuque.

O Partido Alto saia das salas onde eram realizadas as rodas de choro com flauta e cavaquinho.
Em outro ambiente para um apanhado mais reservado de sambistas, "uma elite", que era um grupo separado, um partido de gente denominado as vezes por "Samba Quebrado".
Este "Samba Quebrado" era tocado a base de cavaquinho, pandeiro, prato e faca e acompanhado por passos de danças como o "Miudinho" aonde era proibido tirar o pé do chão e dançar com as mãos nas cadeiras.

Só muito depois começaram a se entoar pequenos refrões nessas batucadas e assim como o repentista nordestino o "sambista de elite" de "alto nível" começou a improvisar seus pequenos versos aos refrões das batucadas.

Em um pequeno trecho narrado por Almirante, ele dizia que durante o velório de seu pai alguns sambistas e chorões entoavam em homenagem "versos de um samba muito triste" entre eles estava Catulo da Paixão Cearense, parceiro de Anacleto de Medeiros, e Ernesto Nazaré todos grandes chorões do inicio do século passado.




O samba de fundo cantado é "Rosa meu bem"
Intérprete: Fernando  Compositor Thomaz, J pela Gravadora Odeon nº 123019  gravação de 1925/27  Acervo Humberto Franceschi

Vejam como ele manda os versos de um modo bastante peculiar quase recitando a poesia, poderemos considerar como um partido?




Definido muitos anos mais tarde por Antonio Candeia Filho em que ele diz no documentário "Partido Alto" de Leon Hirszman
" O Partido Alto é a Expressão mais autentica do samba" ..
Não só do tema mais do clima que vai se criando aos poucos ..
Seria esta uma evidência de como eram versáteis os primeiros partideiros de plantão? confiram:






Com o passar do tempo e a chegada das escolas de samba e compositores de samba de enredo e sambas de quadras, o partido alto começou a tomar outra forma ganhando os "versos",  e a  "prosa"  seria esta uma resposta ao primeiro "verso"  do refrão.
E ai o Partido Alto ganhou grandes versadores de improviso como Brancura, Baiano, Paulo da Portela e muitos outros mais, inclusive grupos musicais como o Partido em 5, Partideiros do Plá que eram compostos em sua grande maioria por compositores das escolas de samba do Rio como a Portela, Mangueira, Salgueiro e tantas mais.

Alguns até preferiram seguir a linha do Partido Alto contrariando as regras do  espetáculo e da industria fonográfica, e mantiveram viva a essência do partido, como Aniceto do Império, que era capaz de dar entrevista com repentes deixando o repórter encabulado.
Uma frase dita por Aniceto do Império:
"Deus Fala Pela Boca do Povo"




Bezerra da Silva, Genaro e Bebeto de São João cantaram a vida barra pesada  da gente sofrida do morro.



Gente essa que a cada dia sofre mais, e se parece muito com os primeiros batuqueiros lá da "Pequena África" perseguidos por tanta desigualdade social, violência e corrupção e que seguem de ouvidos atentos, receptivos ao espírito espontâneo e arrojado dos nossos "Sambistas de Elite dos Chefes do Coral"


Meu carinho e respeito a todos Partideiros.

 *fontes de pesquisa:wikipedia, cifrantiga e youtube

Nenhum comentário:

Postar um comentário