Autor

Certa vez um malandro me perguntou aonde eu queria chegar com o samba e com a música.
Naquela época muito pouca gente fazia samba pra ganhar um trocado; o sereno era mais gelado e matava  mais que a saudade.
Noite adentro o samba comia solto nos quintais e esquinas, bebia-se muita cachaça, sim sinhô! E a ultima coisa que se pensava era em chegar a algum lugar. Mesmo assim esse carinha de quatro arames me levou de apartamento de  seu dotô, até a mais pesada quebrada do mundaréu, e uma coisa que jamais mudou nesses anos todos, foi exatamente a "Hora do Breque"
Dessas paradas conheci muita gente, muita gente que já se foi, muita gente que jamais encontrarei, os grandes amigos, minha querida e amada esposa, eterna companheira a quem dedico este Blog e estas poucas e humildes linhas de lembranças e recordações de um tempo que aos poucos se afasta mas não se apaga jamais.
Depois de tantos anos, enfim a reposta é agradecer por tantos anos de felicidades e conquistas.
Ter conservado essas amizades e o respeito foi um feito nesse mundo imenso, foi exatamente aonde eu escolhi chegar e só tenho a agradecer a Deus!


Segue ...
(Eu) Casinha de Barro que cresci.